Camara pi 183

Colômbia propõe garantia de vida a quem perder eleição na Venezuela

Por RJNEWS em 18/04/2024 às 08:16:08
Gustavo Petro e Lula discutiram a crise política no país vizinho

Gustavo Petro e Lula discutiram a crise política no país vizinho

O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, afirmou nesta quarta-feira (17) que apresentou uma proposta para garantir a pacificação interna da Venezuela após o resultado das eleições do país, que serão realizadas no dia 28 de julho deste ano. A declaração foi dada ao lado do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva, em Bogot√°, após encontro bilateral durante visita oficial do brasileiro à Colômbia.

"[A proposta] tem a ver com a possibilidade de plebiscito nas eleições que se avizinham, que garanta um pacto democr√°tico, que garanta para quem quer que perca, a certeza e a segurança sobre sua vida, seus direitos e garantias políticas que qualquer ser humano deve ter em seu país", disse Petro em declaração à imprensa, sem entrar em detalhes.

Lula e Petro não responderam a perguntas dos jornalistas. Segundo o colombiano, a proposta j√° foi apresentada ao presidente da Venezuela, Nicol√°s Maduro, e à oposição no país. Além disso, a sugestão também foi discutida com Lula. No m√™s passado, o presidente brasileiro manifestou surpresa e preocupação com o impedimento de registro de uma candidata opositora à Maduro.

No fim de sua declaração à imprensa, o presidente do Brasil foi questionado por um jornalista sobre as eleições venezuelanas e respondeu de forma indireta à questão. "Posso dizer para voc√™s que, se depender da Colômbia e do Brasil, esse continente continuar√° sendo uma zona de paz. Porque somente a paz é que traz progresso, a guerra traz morte e destruição e isso não nos interessa", afirmou Lula, encerrando a entrevista.

A agenda de Lula na capital colombiana prossegue com a participação em evento de abertura da Feira Internacional do Livro de Bogot√°, que na edição deste ano homenageia escritores brasileiros. Mais cedo, Lula e Petro participaram do Fórum Empresarial Brasil-Colômbia e também tiveram uma reunião bilateral na sede da presid√™ncia colombiana, o Pal√°cio de Nari√Īo. Na ocasião, os presidentes e ministros de cada governo assinaram uma série de atos em √°reas como comércio, comunicações, desenvolvimento agr√°rio e direitos humanos. Lula retorna ainda na noite desta quarta para Brasília.

Haiti

De acordo com Petro, na declaração à imprensa, os dois presidentes trataram sobre o agravamento da crise humanit√°ria no Haiti. "Brasil e Colômbia queremos participar de uma saída pacífica ao problema haitiano. Colômbia, através de suas economias ilícitas, golpeou, todos sabemos, a República do Haiti de diversas maneiras e, em parte, tem certa responsabilidade com a desestabilização a república irmã, nossa vizinha do norte. E queremos apoiar um saída que gostaríamos de construir com a República Federativa do Brasil", afirmou.

A situação de segurança no Haiti piorou nos últimos meses e o país mais pobre das América est√° assolado por uma guerra sangrenta entre gangues armadas. O conflito j√° matou milhares de pessoas desde o início deste ano. Com a renúncia do último primeiro-ministro, o país est√° sem governo e milícias e grupos armados t√™m invadido delegacias, libertado detentos de penitenci√°rias e tentam agora tomar o poder.

Amazônia

Outro tema debatido entre os dois presidentes durante o encontro foram as alternativas para a preservação e desenvolvimento de uma economia sustent√°vel na Amazônia. "A selva amazônica foi mais um cen√°rio de distanciamento do que articulação e união [entre os dois países], e não pode seguir sendo assim. Queremos adiantar acordos policiais, militares, sociais e econômicos, que tendam, todos, a preservar um dos tr√™s pilares clim√°ticos do planeta Terra, sem o qual essa cidade [Bogot√°] não existiria", afirmou Petro, em refer√™ncia ao abastecimento de √°gua doce viabilizado pela floresta tropical. Atualmente, a capital colombiana vive uma crise hídrica, com escassez de √°gua para a população.

Em discurso no fórum de empres√°rios brasileiros e colombianos, Lula defendeu uma parceria estratégica entre os dois países, falou em triplicar o fluxo comercial e citou o novo cen√°rio global em que os países com grande biodiversidade t√™m uma oportunidade histórica. "Se voc√™ quiser discutir a riqueza da biodiversidade, se voc√™ quiser discutir a riqueza da concentração de √°gua, se voc√™ quiser discutir riqueza da transição energética, se voc√™ quiser discutir a transição do futuro, de descarbonização do mundo, quem olhar para o mundo vai ter que olhar para a América do Sul, e quem olhar para a América do Sul não pode deixar de ver Colômbia e Brasil".

Lula ainda determinou ao chanceler Mauro Vieira que discuta com o governo colombinao formas de desburocratizar e facilitar o comércio, os negócios e os intercâmbios culturais, científicos e tecnológicos entre os dois países.

"A reativação da Comissão de Monitoramento do Comércio Bilateral ser√° fundamental para eliminar entraves. A criação de um conselho binacional entre a Confederação Nacional da Indústria brasileira e a Associação Nacional de Empres√°rios da Colômbia representa um passo adicional nessa direção. Assinamos acordos que vão dinamizar a cooperação bilateral nas √°reas de turismo, promoção comercial, saúde, desenvolvimento agr√°rio, comunicações e conectividade", enumerou Lula.

Este é o terceiro encontro entre Lula e Petro, o primeiro presidente de esquerda eleito na Colômbia. Petro visitou Lula em Brasília, em maio do ano passado, durante uma cúpula de presidentes sul-americanos, e ambos ainda se encontraram pouco tempo depois, em julho de 2023, em Letícia, cidade da Amazônia colombiana na fronteira entre os dois países, para um fórum sobre desenvolvimento sustent√°vel da floresta.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro

Coment√°rios

Zion
Luxhoki