CONTEC

Escolas particulares de Rio das Ostras retornam gradualmente com aulas presenciais

Diante da medida, professores do município, entram em estado de greve, segundo sindicato

Por RJNEWS em 09/06/2021 às 07:00:00
Mais um ato simbólico foi realizado, mas desta vez, em Rio das Ostras

Mais um ato simbólico foi realizado, mas desta vez, em Rio das Ostras

Thaiany Pieroni

De acordo com o decreto municipal da Prefeitura de Rio das Ostras, as escolas particulares do munic√≠pio foram autorizadas, nessa segunda-feira, 07, a retornarem, de forma gradual, com as atividades presenciais. A decis√£o n√£o foi bem aceita pelos professores, que come√ßaram a tomar a primeira dose da vacina contra o coronav√≠rus também, nessa segunda-feira.

Em assembleia unificada virtual, a categoria decidiu declarar estado de greve em defesa da vida. O objetivo é refor√ßar que a classe é contra o retorno das aulas presenciais, sem que a pandemia esteja controlada, segundo os critérios cient√≠ficos apresentados por entidades sanit√°rias, tendo a Fiocruz e as universidades p√ļblicas como fontes de refer√™ncia para estes critérios.

"O Estado voltou atr√°s na decis√£o de retornar com as aulas presenciais no munic√≠pio por entender que ainda estamos vivendo um momento de risco. Nossos professores come√ßaram a tomar a primeira dose da vacina nessa segunda-feira, 07. Se j√° est√°vamos recebendo v√°rias den√ļncias de profissionais contaminados, imagina com o retorno das aulas presenciais?! N√£o é a hora de voltar. Queremos seguran√ßa sanit√°ria para nossos professores", declarou Guilhermina Rocha, presidente do Sindicato dos Professores daRede Privada de Macaé e Regi√£o (Sinpro).

Para refor√ßar a decis√£o da categoria, um ato simbólico foi realizado em frente à Prefeitura Municipal de Rio das Ostras. Com o distanciamento necess√°rio, uso de m√°scara e √°lcool em gel, um n√ļmero restrito de professores esteve na porta da sede municipal, com faixas reafirmando que n√£o é hora de retornar com as aulas.

"Nós fizemos um ato simbólico para informar nosso posicionamento e fomos informados que nem o prefeito, nem o secretariado estavam na prefeitura. O munic√≠pio insiste em n√£o ouvir os trabalhadores e atender somente o interesse dos donos das escolas. Segundo os critérios do Conselho Municipal de Educa√ß√£o, apenas 16 escolas estariam aptas a retornarem com as aulas. Nós queremos saber como ser√° a fiscaliza√ß√£o das demais? Quem ir√° garantir a sa√ļde dos trabalhadores? O sindicato ir√° nas escolas, nesta semana, para acompanhar e continuaremos buscando os órg√£os competentes", frisou ainda Guilhermina.

Ainda de acordo com o sindicato, uma nova assembleia ser√° realizada no próximo s√°bado, 12, para debater os passos dados na √ļltima semana e existe a possibilidade de ser declarada greve, oficialmente. "O Sinpro Macaé e Regi√£o convoca a categoria a se mobilizar e n√£o aceitar a press√£o patronal para o retorno às atividades presenciais. Exigimos o cumprimento da pauta de reivindica√ß√£o: vacina√ß√£o, imuniza√ß√£o plena, testagem em massa, protocolos com rigor cient√≠fico. O Sinpro Macaé e Regi√£o reafirma seu alinhamento com a comunidade cient√≠fica, que de forma ampla e p√ļblica, indica ser o retorno nesse momento inapropriado.Nosso compromisso é com a vida e a sa√ļde de todos", afirmou Guilhermina Rocha.

O professor Cezar Santa Ana, que é diretor pedagógico de um colégio particular do munic√≠pio, acredita que a decis√£o do retorno às aulas, neste momento, é precipitada. "Acho imprudente, sobretudo porque é necess√°rio que as escolas estejam conscientes dos dados que levaram à autoriza√ß√£o. Além disso, o poder p√ļblico que autorizou deveria montar uma estratégia social de apoio, pois com a volta às aulas presenciais, diversos outros setores também se mobilizam.

Sem que o poder p√ļblico se coloque como respons√°vel principal, vejo como precipitada a volta", declarou.

Os professores da rede p√ļblica também est√£o em estado de greve. Também, por meio de decreto, a Prefeitura de Rio das Ostras declarou a previs√£o do retorno das aulas presenciais nas escolas municipais para o final deste m√™s.

E n√£o s√£o só os professores, que n√£o se sentem seguros. Segundo informa√ß√Ķes, existe um grupo de pais e respons√°veis, que também est√£o se mobilizando contra a volta as aulas e que optam por n√£o levar seus filhos.

Esse é o caso de Andreia Coelho, que afirma que n√£o levar√° seu filho para as aulas presenciais. "Eu como m√£e, n√£o sinto seguran√ßa de deixar meu filho, que é do grupo de risco, frequentar as aulas", afirmou.

Munic√≠pio preparado para o retorno às aulas?

Em contrapartida ao apelo dos professores, as escolas do munic√≠pio afirmam que j√° est√£o preparadas h√° bastante tempo para o retorno das aulas presenciais. Em janeiro deste ano, quando o assunto da volta às aulas come√ßou, o RJ News consultou representantes das escolas particulares, que garantiram que h√° seguran√ßa para este momento.

"As escolas j√° est√£o preparadas para o retorno das aulas e, entendendo a import√Ęncia desse momento, diretores de escolas privadas j√° se organizaram para, assim que for autorizada a reabertura das escolas, receberem os alunos com toda seguran√ßa em sua estrutura e orienta√ß√£o de sua equipe. Vale evidenciar que, apesar de estarmos preparados, dados da Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas para a Educa√ß√£o, Ci√™ncia e Cultura(Unesco), citam que o Brasil est√° relacionado a outros pa√≠ses como a Etiópia, Iraque, √ćndia, como √ļnicos que passaram de 70 dias sem aula. Os demais pa√≠ses j√° retomaram suas aulas e mesmo que tenham oscila√ß√£o em n√ļmeros de casos ou necessitem da aplica√ß√£o do lockdown, mantém as escolas como prioridade junto aos mercados e farm√°cias. Sendo assim, esses dados também refor√ßam que precisamos tentar a reabertura segura das nossas escolas e estamos prontos para isso", frisou Alessandra Toledo, diretora de uma escola privada de Rio das Ostras.

J√° de acordo com a Prefeitura de Rio das Ostras, as √ļltimas an√°lises dos √≠ndices epidemiológicos da Covid-19, indicaram que o munic√≠pio alcan√ßou a bandeira amarela 1 e, com isso, a prefeitura autorizou o retorno gradual das atividades educacionais presenciais a partir de 7 de junho.

O munic√≠pio ressalta que as atividades retornam, inicialmente, em regime h√≠brido (escalonado), intercalando aulas ministradas nas escolas e on-line. Por abrigarem maior n√ļmero de estudantes, cerca de 23 mil, as unidades da Rede P√ļblica Municipal precisam de mais tempo para se adequar e permanecem com atividades remotas até 30 de junho.

Para a realiza√ß√£o das atividades educacionais presenciais, dever√° ser observado o percentual de até 30% da capacidade total de alunos por turno diariamente. As institui√ß√Ķes escolares precisar√£o atender aos critérios sanit√°rios de higiene, seguran√ßa e distanciamento f√≠sico, determinados pelas autoridades competentes.

Entre os procedimentos de seguran√ßa sanit√°ria que devem ser realizados nas escolas, est√£o os seguintes: organiza√ß√£o do per√≠odo de ingresso, perman√™ncia e sa√≠da, de modo a evitar aglomera√ß√Ķes; aferi√ß√£o de temperatura na entrada; higieniza√ß√£o constante das m√£os com √°lcool 70% ou √°gua e sab√£o; uso de m√°scara de prote√ß√£o obrigatório; respeito ao distanciamento f√≠sico de pelo menos 1,5 m nas salas; organiza√ß√£o dos intervalos de refei√ß√Ķes e recreio de modo intercalado.

O artigo terceiro do Decreto Municipal estabelece que fica vedado o funcionamento de qualquer unidade escolar durante a vig√™ncia da bandeira vermelha. A Comiss√£o Municipal de Apoio Estratégico à Elabora√ß√£o do Protocolo de Medida de Prote√ß√£o e Controle da Covid-19, tem um prazo de 30 dias para apresentar ajustes e atualiza√ß√Ķes no Plano de Retomada das Aulas Presenciais em atendimento ao novo decreto.

E a vacina?

A principal defesa da categoria é com rela√ß√£o à vacina para os profissionais da educa√ß√£o, primeira e segunda dose, antes do retorno das aulas presenciais. Porém, a categoria come√ßou a ser vacinada nessa segunda-feira, 07.

Neste primeiro momento, foram vacinados exclusivamente os trabalhadores da Educa√ß√£o Infantil das redes p√ļblica e privada, que est√£o na ativa em unidades de ensino de Rio das Ostras. Além dos professores, também foram imunizados contra o coronav√≠rus merendeiras, profissionais de apoio, de suporte pedagógico e administrativos que atuam na Educa√ß√£o Infantil nas escolas p√ļblicas e privadas localizadas em Rio das Ostras.

Com rela√ß√£o às próximas fases, o munic√≠pio ainda n√£o divulgou um calend√°rio com datas exatas. Apenas informou que a vacina√ß√£o seguir√° a seguinte linha: após os trabalhadores da Educa√ß√£o Infantil, ser√£o vacinados os profissionais que atuam no Ensino Fundamental, Educa√ß√£o de Jovens e Adultos (EJA), Ensino Médio, Médio Profissionalizante e Ensino Superior.

Lohanna Vogel, moradora de Rio das Ostras, falou sobre a import√Ęncia da vacina. "Excelente. J√° que determinados pais est√£o pedindo tanto a volta às aulas, mais que justo vacinarem os professores. Escola n√£o é abrigo e professor n√£o é bab√°. Quer enviar seu filho pra escola? Lute para que os professores sejam vacinados", declarou.

Mas, além dos profissionais, existe uma preocupa√ß√£o também com rela√ß√£o aos alunos, como comentou Iolanda Paredes. "N√£o entendo. Profissionais da educa√ß√£o, mas e os alunos? N√£o adianta nada. A√≠ eles nos trazem a doen√ßa para casa, j√° que n√£o estamos vacinados. Vacina pra toda popula√ß√£o!", lembrou.

Fonte: RJNEWSnoticias

Comunicar erro

Coment√°rios

Casa e Roupa
Anuncie 3