CONTEC

Moradora de Macaé e aluna da rede pública de ensino é finalista do I Prêmio Nacional de Literatura

O prêmio é voltado para jovens, de 10 a 20 anos de idade

Por RJNEWS em 05/06/2021 às 07:56:00
Talita Costa Pereira, de 11 anos, foi uma das finalistas do prêmio e ficou em primeiro lugar na categoria de 10 a 13 anos

Talita Costa Pereira, de 11 anos, foi uma das finalistas do prêmio e ficou em primeiro lugar na categoria de 10 a 13 anos

Moradora de Macaé e aluna da rede pública de ensino é finalista do I Prêmio Nacional de Literatura

O prêmio é voltado para jovens, de 10 a 20 anos de idade, Talita Costa Pereira, de 11 anos, conquistou o primeiro lugar, na poesia para jovens de 10 a 13 anos

Daniela Bairros

Mais uma vez, a moradora de Macaé e aluna da rede pública de ensino, Talita Costa Pereira, de 11 anos, levou o nome da cidade, e diga-se de passagem com uma excelente representação e atuação, ao I Prêmio Nacional de Literatura de Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, estado de São Paulo. O prêmio é voltado para jovens de 10 a 20 anos de idade e, para esta faixa etária, foi a primeira que foi realizado. O evento teve a participação de mais de 70 municípios do Brasil.

Ao todo, 157 textos foram enviados à organização do prêmio, nas categorias poesia, conto e crônica. Dos 157 materiais selecionados, 29 foram finalistas. Entre eles, está Talita Costa Pereira, de Macaé, que estuda no Colégio Municipal do Botafogo. Ela conquistou o primeiro lugar, na categoria Poesia de 10 a 13 anos, com o "Livro da Realidade". Talita receberá troféu, certificado e livros. O resultado final foi anunciado no último dia 30 de maio.

A mãe da talentosa Talita, Tatiana Costa de Souza Pereira, a Tê Costa, afirmou que como mãe, sempre incentiva o contato da filha com a leitura e com a produção escrita. "Eu sempre estou auxiliando a Talita na organização dos estudos. Nós ficamos sabendo do concurso, através de um amigo, o Mestre Dengo, que é da Associação de Capoeira Raízes de Aruanda de Macaé. Ele nos enviou o link para o acesso ao curso. Nós enviamos o poema, produzido pela Talita. Foi um dos finalistas. Ela concorreu com outras crianças, pela Academia Jovem de Letras de Campos do Jordão", explicou. Ainda segundo Tê Costa, Talita ficou radiante, porque esse prêmio, foi um estímulo muito grande nessa caminhada que foi iniciada desde sempre, na educação da filha. "Sempre tento mostrar para ela o valor e importância da leitura, da escrita e dos estudos na vida de uma menina negra e periférica. Ela sabe que é exceção e que a regra é a falta de oportunidades e acessos desse tipo. O tema da poesia e das outras obras literárias foi sugerido pela Academia Jovem de Letras de Campos do Jordão, como janelas, algo assim. Talita pensou na vista da janela para cidade de Macaé, a questão do isolamento social, o uso de máscaras , o sorriso com os olhos, o sonho com a volta às aulas", declarou a mãe de Talita.


Fonte: RJNEWSnoticias

Comunicar erro

Comentários

Casa e Roupa
Anuncie 3