CONTEC

Retomada das aulas presenciais na rede pública preocupa vereadores

A falta de estrutura na rede municipal também foi lembrada

Por RJNEWS em 02/06/2021 às 17:23:55
 Ainda há muitas perguntas sem respostas

Ainda há muitas perguntas sem respostas", destacou Cesinha.

Um requerimento apresentado pelo presidente do Legislativo, Cesinha (Pros), trouxe novamente à tona o debate nesta quarta-feira (2), na Câmara Municipal de Macaé. Aprovado por unanimidade entre os presentes, o documento cobra do Executivo um plano que estabeleça de forma clara as medidas de prevenção, monitoramento e contingência de casos do coronavírus nas escolas municipais.

De acordo com o autor do requerimento, embora haja uma previsão de retorno às aulas presenciais, ainda não se sabe exatamente de que forma isso acontecerá na rede pública. "Foi feita alguma avaliação física nas escolas? Será mesmo possível o retorno nesta data? É seguro para alunos e educadores? Ainda há muitas perguntas sem respostas", destacou Cesinha.

A vereadora Iza Vicente (Rede) acrescentou que é preciso alinhar a realidade das escolas às diretrizes municipais. "Também queremos saber como será esse ensino híbrido, o planejamento pedagógico e se é possível acelerar a vacinação dos profissionais da educação, uma vez que já estamos em junho".

Para o líder do governo e ex-secretário de Educação, Guto Garcia (PDT), as escolas devem ter autonomia para lidar com questões particulares. "É claro que precisamos de um planejamento macro, mas cada unidade deve fazer a sua própria avaliação e se planejar para atender as demandas específicas".

Falta de estrutura nas escolas

Outro requerimento nesse sentido foi apresentado pelo vereador George Jardim (PSDB), que questiona ao Executivo se há laudo técnico avaliando cada uma das escolas municipais, a fim de certificar que a unidade está apta ao retorno seguro das aulas presenciais. "Recebi denúncias, inclusive com fotos, de que algumas não teriam a menor condição de retorno, segundo os protocolos de segurança e saúde estabelecidos para o retorno das atividades escolares presenciais".

O parlamentar fez menção a diversos problemas como estruturas sem manutenção, mofo, falta de janela para ventilação e outros. Além disso, ele criticou a designação dos próprios diretores escolares para avaliarem suas unidades de ensino. "Eles são educadores, não são técnicos e, portanto, não estão aptos para fazer esse tipo de inspeção. Quem deveria fazer isso é a Vigilância Sanitária, a Defesa Civil e o Centro de Controle de Zoonozes", defendeu.

A falta de estrutura na rede municipal também foi lembrada pela vereadora Iza Vicente, por meio de um requerimento que solicita informações sobre a falta de equipamentos para dar suporte à educação remota. "Recebi diversos relatos de que as impressoras não estariam dando conta de fazer as impressões dos kits escolares para os estudantes, pois muitas não estariam funcionando. Gostaríamos de saber se o contrato com a empresa que fornece esses equipamentos será revisto".

Fonte: ASCOM CMM

Comunicar erro

Comentários

Casa e Roupa
Anuncie 3