CONTEC

Tragédia com time da Chapecoense completa cinco anos e data será lembrada em Macaé

No próximo domingo (28), um jogo amistoso no Estádio Cláudio Moacyr lembrará também Filipe Machado, uma das vítimas do acidente aéreo e que já foi zagueiro do Macaé Esporte Clube

Por Daniela Bairros em 23/11/2021 às 07:00:00
A campanha de arrecadação segue até o próximo domingo (28), dia da partida no Estádio Moacyrzão

A campanha de arrecadação segue até o próximo domingo (28), dia da partida no Estádio Moacyrzão

Daniela Bairros

O acidente aéreo com o voo da Lamia, que vitimou 71 pessoas, entre a equipe da Chapecoense, tripulantes e jornalistas, em novembro de 2016, na próxima semana, completará cinco anos. A Chapecoense, naquele ano, disputaria, na Colômbia, a Copa Sul-Americana de 2016.

Uma das vítimas fatais da tragédia, Filipe Machado, já foi zagueiro do Macaé Esporte Clube, entre 2014 e 2015. Ele será lembrado no próximo domingo (28) durante um amistoso no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé, às 09h. A entrada para a partida de futebol é a doação de um quilo de alimento não perecível.

A ideia de realizar o jogo beneficente e homenagear Filipe Machado foi de Márcio Azevedo, de 46 anos, jornalista e radialista, mas que também já foi jogador de futebol. Gaúcho, natural de Pelotas, no Rio Grande do Sul, Márcio era amigo pessoal de Filipe Machado. Mais do que um amigo, segundo ele, um irmão, que nem a morte conseguiu separar. "Eu e o Filipe eram os irmãos, um do outro, e que nunca tivemos em nossas vidas. Fico muito feliz em homenageá-lo da forma que ele mais gostava, jogando futebol". Márcio já homenageou o amigo colocando no filho, hoje com quatro anos de idade, o nome de Filipe José Morete Azevedo.

Dentro de campo, para o jogo, estarão as equipes Amigos do Márcio, que vão vestir uniformes da Chapecoense, e Associação de Futebol Mar Azul, que ajuda a mudar a vida de ex-dependentes químicos em Macaé. "Será o jogo da empatia. E o futebol Mar Azul abraça esta linda iniciativa. Muito mais do que futebol, estamos salvando vidas", declarou Paulo Alexandre, idealizador do projeto Mar Azul.

Em entrevista concedida ao RJ News, Márcio Azevedo explicou que o jogo beneficente, que teve autorização para ser realizado pelo Decreto nº 259/2021, assinado pelo prefeito de Macaé, Welberth Rezende (Cidadania), liberou a presença de 50% do público, seguindo os protocolos da vigilância sanitária, têm dois propósitos. "O primeiro, homenagear meu amigo, o Filipe Machado, e manter viva a memória dele, desse grande cara. E o segundo, ajudar todas aquelas pessoas e famílias que enfrentam dificuldades", explicou. (Leia nesta página os locais de arrecadação). O principal ponto de arrecadação é o Estádio Cláudio Moacyr. No dia da partida, o público entrará pelo portal principal. A esposa de Márcio Azevedo, Aline Morete Azevedo, estará recolhendo as doações. Ainda segundo Márcio Azevedo, até o momento, foram arrecadados 400 quilos de alimentos.

"O jogo tem o cunho da emoção, da saudade. Eu tenho certeza de que o Filipe Machado está nos braços de Deus. O Filipe, de onde ele está, está olhando. Eu quero imaginar ele sentado, tomando o chimarrão. Sou muito grato por estar fazendo isso, propondo a homenagem. Eu sou só o instrumento para a realização do jogo. E também ajudar as pessoas que enfrentam muitas dificuldades. E quero seguir esse caminho, ajudar e homenagear um cara que também se preocupava, e muito, com a situação das pessoas. Quero ver o estádio lotado no próximo domingo, ver muita gente entrando pelo portão principal e com um quilo de alimento na mão".

Confira os postos de arrecadação em Macaé e Rio das Ostras

Supermercado J Pavani – Avenida Evaldo Costa, número 100, Sol e Mar

Academia de Crossfit Fênix- Bairro da Glória

Condomínio Alphaville Rio Costa do Sol - Rio das Ostras

Alfaphavile Costa do Sol, em Rio das Ostras

Vestiário do estádio já tem placa com nome do ex-zagueiro do Macaé

Em março de 2018, o vestiário do Estádio Cláudio Moacyr recebeu uma placa em homenagem à história de Filipe Machado em Macaé. À época, a iniciativa foi uma indicação legislativa.

A placa registra o agradecimento pelo profissionalismo, capacidade técnica, carinho e conquistas no Macaé Esportes durante a trajetória do zagueiro, entre 2014 e 2015, no time.

No dia 16 de março de 2018, amigos do jogador, entre eles, Márcio Azevedo, visitaram o espaço que recebeu a homenagem. "O desejo dele era voltar a jogar em Macaé, mas essa vontade fica aqui em forma de homenagem. Sou gaúcho também e acompanhei toda a sua trajetória", frisou Márcio Azevedo, à época.

Trajetória de Filipe Machado no futebol

Nascido em Gravataí, no Rio Grande do Sul, no dia 13 de março de 1984, Filipe José Machado, conhecido como Filipe Machado, atuou como zagueiro. Ele foi revelado pelo Internacional e teve uma trajetória de 14 anos no futebol. Com passagens por clubes como Fluminense, Esportivo (RS), CSKA Sofia (Bulgária), Salernitana (Itália), Inter Baku (Azerbaijão) e Al Dhafra (Emirados Árabes) antes de defender a Chapecoense, o zagueiro atuou no Macaé Esporte Clube.

Filipe Machado foi um dos destaques do título do Alvianil Praiano, na Série C do Campeonato Brasileiro de 2014 e era um dos jogadores mais queridos do clube. Na despedida do time para defender o Saba Qom, do Irã, em 2015, Filipe Machado se emocionou e prometeu retornar ao clube.

Carismático, querido e guerreiro, Filipe Machado era conhecido pela humildade e pelo jeito receptivo e acolhedor com os companheiros de equipe e com os jornalistas. Descontraído, gostava de brincar com tudo, até mesmo com os profissionais da imprensa. Técnico, só utilizava chuteiras pretas por ordem do pai e gostava de ser lembrado como um zagueiro à moda antiga, que sabia sair jogando. Era visto, constantemente, nos gramados com a filha Antonella nos braços.

Filipe Machado morreu aos 32 anos. Ele era uma das vítimas do desastre aéreo com a equipe da Chapecoense, tripulantes e jornalistas. O voo 2933 da Lamia caiu no dia 28 de novembro de 2016, na Colômbia.

Apenas seis pessoas sobreviveram à queda que aconteceu na Colômbia. Entre elas, os atletas Alan Ruschel, Jakson Follman e Neto, o jornalista Rafael Henzel, (ele morreu em março de 2019, após sofrer um mal súbito durante partida de futebol em Chapecó), a comissária de bordo Ximena Suárez e o técnico de voo Erwin Tumiri.

Foto: Arquivo Pessoal

Comunicar erro
Zion

Comentários

Casa e Roupa
Anuncie 3