CONTEC

Tr√™s candidatos a prefeito disputar√£o as elei√ß√Ķes suplementares em Carapebus

Vota√ß√£o ser√° no dia 07 de novembro. Elei√ß√Ķes foram marcadas depois que ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manterem irregular a candidata da ex-prefeita Christiane Cordeiro (PP), que teve o mandato cassado

Por Daniela Bairros em 05/10/2021 às 10:52:23
As eleições complementares em Carapebus serão realizadas no dia 07 de novembro

As eleições complementares em Carapebus serão realizadas no dia 07 de novembro

Daniela Bairros

Tr√™s candidaturas à prefeitura de Carapebus e que v√£o concorrer às elei√ß√Ķes suplementares no munic√≠pio no dia 07 de novembro, foram registradas no site Divulga√ß√£o de Candidaturas e Contas Eleitorais, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na chapa da situa√ß√£o, da fam√≠lia dos ex-prefeitos Eduardo Cordeiro (PP) e Christiane Cordeiro (PP), concorrer√£o o presidente da C√Ęmara Municipal e atual prefeito interino de Carapebus, vereador Dandinho (Avante), que ter√° como vice o ex-secret√°rio de Planejamento, Luiz Victor Cordeiro (PSDB), sobrinho do ex-prefeito,

Outras duas chapas concorrer√£o às elei√ß√Ķes suplementares do munic√≠pio, uma tendo Bernard Tavares (Republicanos), como candidato a prefeito, e Borginho (Cidadania), como vice, e outra tendo Edward Ara√ļjo (PMB), como candidato a prefeito, e Simone de Paula (PMB) como vice,

No site do TSE, as três chapas ainda aguardam julgamento dos seus respectivos pedidos de registro das candidaturas para que os candidatos a prefeito e a vice possam ter, de fato, seus nomes confirmados nas urnas no início de novembro.

Os candidatos eleitos em 7 de novembro, data do pleito suplementar, exercer√£o mandato até 31 de dezembro de 2024. Somente est√£o aptos a votar na elei√ß√£o suplementar eleitoras e eleitores que possu√≠am domic√≠lio eleitoral no munic√≠pio em 9 de junho de 2021, desde que estejam em situa√ß√£o regular. Assim como no pleito de 2020, a identifica√ß√£o biométrica n√£o ser√° utilizada e o uso de m√°scaras de prote√ß√£o nas se√ß√Ķes eleitorais ser√° obrigatório.

Os eleitos que tiverem as contas de campanha aprovadas devem ser diplomados até o dia 29 de novembro. A posse dos eleitos é uma atribui√ß√£o da C√Ęmara Municipal. As demais datas e regras do processo eleitoral suplementar, como prazos para impugna√ß√Ķes, julgamento de reclama√ß√Ķes e direito de resposta, recursos e presta√ß√Ķes de contas est√£o na resolu√ß√£o aprovada nesta quinta-feira (2).

As elei√ß√Ķes suplementares para a Prefeitura de Carapebus foram marcadas pelo TSE após os ministros manterem irregular a candidatura da ex-prefeita Christiane Cordeiro, cassando seu mandato, baseado na reprova√ß√£o das contas da ex-prefeita no exerc√≠cio de 2017 pela C√Ęmara Municipal.

Eleita nas elei√ß√Ķes municipais de 2020, Christiane Cordeiro ainda tentou recorrer, conseguindo uma libera√ß√£o judicial para assumir o mandato, mas a decis√£o acabou mantida pelos ministros do TSE, que determinaram seu afastamento do cargo e a realiza√ß√£o do pleito suplementar.

Desde ent√£o, o Executivo é comandado de forma interina pelo presidente da C√Ęmara, o vereador Dandinho, que agora tentar√° se manter à frente da prefeitura até o final do mandato, em 31 de dezembro de 2024, quando est√£o marcadas novas elei√ß√Ķes municipais em todo o pa√≠s.

Para o cientista pol√≠tico J√ļlio Boldrini, em geral, os eleitores n√£o gostam dessa descontinuidade do mandato pol√≠tico, pois a própria administra√ß√£o p√ļblica perde um pouco da sua rotina, programas e projetos.

" Mesmo para o gestor que assim e depois precisa se afastar ,a exist√™ncia e a possibilidade de n√£o continuar j√° desarticula seu trabalho, além de ficar impossibilitado de contrata√ß√Ķes a longo prazo. No entanto, a democracia tem como base a Justi√ßa. Mesmo que demore e venha tardiamente, ela melhor do que n√£o acontecer, pois a ela ( a Justi√ßa ) é quem credibiliza o processo pol√≠tico. A celeridade da Justi√ßa é mais uma luta por garantias constitucionais, a falta dela é a sociedade caminhando para a barb√°rie. Por mais que isso gere desconforto, ainda assim é o melhor caminho e acreditar na Justi√ßa é a √ļnica sa√≠da para uma sociedade menos desigual. Acreditar que o pleito eleitoral é a vontade soberana do povo, mas que alguém se aproveitou para burlar as regras da democracia e assumir um mandato que n√£o é seu, significa retirar o principal direito do cidad√£o, que entregar a administra√ß√£o de uma cidade, estado ou pa√≠s aquele que de fato foi o escolhido pelo eleitores e reflete a sua vontade, por isso est√° legalmente autorizado a exercer o poder", enfatizou Boldrini.


Foto: Ilustração

Comunicar erro
Zion

Coment√°rios

Casa e Roupa
Anuncie 3