CONTEC

Tarcísio Meira morre aos 85 anos vítima da covid-19

Ator foi internado no dia 6 de agosto no Hospital Albert Einstein, em São Paulo

Por RJNEWS em 12/08/2021 às 15:22:37
O ator Tarcísio Meira, de 85 anos, morreu na manhã desta quinta-feira, vítima da covid-19

O ator Tarcísio Meira, de 85 anos, morreu na manhã desta quinta-feira, vítima da covid-19

O ator Tarcísio Meira, de 85 anos, morreu na manhã desta quinta-feira, vítima da covid-19. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do ator. O artista estava internado desde o dia 6 de agosto no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A mulher de Tarcísio, Glória Menezes, de 86, também foi internada com a doença e estava em observação em um quarto do hospital com sintomas leves. Ela recebeu alta na tarde desta quinta. O veterano estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

De acordo com boletim médico divulgado na quarta-feira, Glória Menezes vinha evoluindo, mas o ator permanecia internado na UTI e em diálise contínua. "O senhor Tarcísio Meira e senhora Gloria Menezes encontram-se internados no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, na unidade Morumbi, desde o dia 06 de agosto para o tratamento de complicações ocorridas por COVID-19. O senhor Tarcísio se encontra em tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com apoio de ventilação mecânica invasiva e dialise contínua. A senhora Glória está se recuperando bem, em apartamento, e em desmame de oxigênio nasal".

Durante a internação dos atores, a mulher de Tarcísio Filho, nora do casal, Moacita Fagundes, chegou a se pronunciar sobre o estado de saúde do casal. "Saiu na imprensa que Glória e Tarcisão estão internados com Covid. Infelizmente, não é fake news. É verdade. Estavam isolados e num descuido foram contaminados. Essa doença é traiçoeira. Mas estamos muito fortalecidos, cheios de amor e muita esperança em tê-los em casa daqui a pouquinho", disse nas redes sociais.

Ela pediu orações para Tarcísio e Gloria. "Por enquanto, peço que se unam a nós nessa corrente de orações e energias positivas. Não vou ficar me alongando e nem dando boletins médicos. Vou ficar quietinha ao lado do Tarcísio Filho que — graças a Deus — testou negativo para Covid. Carinho e oração sempre fazem um bem danado", concluiu.

Trajetória
Nascido no dia 5 de outubro de 1935, em São Paulo, batizado Tarcísio Magalhães Sobrinho, o ator tomou emprestado da mãe o sobrenome Meira, que, além de ser mais sonoro, somava 13 letras com o primeiro nome – uma superstição da época. O veterano começou a carreira artística no final dos anos 1950, em peças como "A Hora Marcada, "Chá e Simpatia" e "Quando As Paredes Falam", todas de 1957. Em 1959, fez seu primeiro espetáculo profissional, "O Soldado Tanaka", convidado por Sérgio Cardoso. Um dos maiores atores da teledramaturgia, Tarcísio Meira estreou na TV Tupi, também em 1959, no mítico "Grande Teatro Tupi", um programa de teleteatro.

Em 1961, o ator contracenou pela primeira vez com Glória Menezes em "Uma Pires Camargo", de Geraldo Vietri. Os veteranos se casaram no ano seguinte, em 1962. "Conheci Glória quando estava ensaiando uma peça dirigida por Antunes Filho. Eu a vi passar no palco e falei: "Que mulheraço! Que mulher bonita"", contou em entrevista ao Memória Globo. Da únião nasceu, em 1964, Tarcísio Filho.

Tarcísio Meira também teve passagem pela TV Excelsior, onde ele e Glória se destacaram em "2-5499 Ocupado", de Dulce Santucci, de 1963. Além disso, ele fez mais nove trabalhos na emissora. No mesmo ano, fez o seu primeiro filme: "Casinha Pequenina", com Mazzaropi. A estreia na Globo aconteceu em 1968, em "Sangue e Areia", de Janete Clair, que consagrou o casal de atores como um dos pares favoritos da TV brasileira. A novela também marcou o início de uma parceria duradoura: ele protagonizou mais seis novelas da autora.

Outra parceria bem-sucedida de Tarcísio foi com Lauro César Muniz. A história do país serviu de cenário para "Escalada", de 1975. Nela, o ator viveu Antônio Dias, personagem que interpretou da juventude aos 70 anos, tendo testemunhado a construção de Brasília.

"Irmãos Coragem", de 1970, novela na qual viveu o mocinho João Coragem, foi um dos maiores sucessos da fase preto e branco da TV brasileira. Para se ter uma ideia, o penúltimo capítulo da trama deu mais audiência que a final da Copa do Mundo. "Foi a primeira novela que os homens admitiam que viam. Até então, eles viam meio escondidos, porque novela era coisa de mulher", explicou Tarcísio ao Memória Globo.

Além de "Irmãos Coragem", de 1970, outros papéis importantes do ator são "Cavalo de Aço", de 1973; "O Semideus", de 1973; "Guerra dos Sexos", de 1983; "O Tempo e o Vento", de 1985; "Roda de Fogo", de 1986; "Desejo", de 1990; "Rei do Gado", de 1996; "Torre de Babel", de 1998; "Hilda Furacão", de 1998; "A Muralha", de 2000; "O Beijo do Vampiro", de 2002; "Senhora do Destino", de 2004; "Páginas da Vida, de 2006; "A Favorita", de 2008; "A Lei do Amor", de 2016; e "Orgulho e Paixão", de 2018.

"Orgulho e Paixão" foi seu último trabalho na TV. O veterano deu vida ao Lorde Williamson, um poderoso lorde inglês. No entanto, ele foi afastado da trama por conta de uma infecção pulmonar.

Fonte: O Dia

Comunicar erro

Comentários

Casa e Roupa
Anuncie 3