Camara pi 183

Operação combate esquema de importação ilegal de mercadorias

Por RJNEWS em 10/07/2024 às 09:20:54
Participam da ação Corisco Turbo 250 policiais federais

Participam da ação Corisco Turbo 250 policiais federais

A PolĂ­cia Federal (PF) e a Receita Federal deflagraram nesta quarta-feira (10) a Operação Corisco Turbo, com o objetivo de desmantelar organização criminosa responsĂĄvel por importar ilegalmente grandes quantidades de mercadorias de origem estrangeira sem pagamento de tributos.

Cerca de 250 policiais federais e 100 servidores da Receita Federal cumprem, ao todo, 51 mandados de busca e apreensão, 25 ordens de sequestro de bens imóveis e 42 ordens de sequestro de veĂ­culos, além do bloqueio de R$ 280 milhões nas contas dos alvos da operação. As ações acontecem em São Paulo, GoiĂĄs, no ParanĂĄ, em Santa Catarina, no Maranhão, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.

Em nota, a PF informou que os mandados foram expedidos pelo JuĂ­zo da 12ÂȘ Vara Federal do Distrito Federal, que também determinou medidas cautelares em desfavor dos principais investigados, como proibição de se ausentarem do paĂ­s, entrega dos passaportes em 24 horas, proibição de se ausentarem do municĂ­pio de domicĂ­lio, comparecimento mensal ao JuĂ­zo Federal para informar suas atividades e proibição de manterem contato uns com os outros.

"As investigações apontam que a organização criminosa se subdividia em nĂșcleos responsĂĄveis pela negociação e venda de produtos eletrônicos, transporte/armazenamento, constituição de empresas fictĂ­cias, envio de dinheiro para o exterior e receptação dos produtos para revenda em comércio."

Ainda de acordo com a corporação, os investigadores também encontraram indĂ­cios de lavagem de dinheiro e evasão de divisas por meio de doleiros e de transferĂȘncia de criptomoedas. "HĂĄ indĂ­cios da remessa ilegal de mais de R$ 1,6 bilhão ao exterior, estimando-se que foram internalizados no paĂ­s mais de 500 mil telefones celulares pela organização criminosa nos Ășltimos cinco anos".

Os suspeitos, segundo a PF, devem responder pelos crimes de falsidade ideológica, descaminho, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e organização criminosa, com penas mĂĄximas que podem chegar a 37 anos de reclusão.

Fonte: AgĂȘncia Brasil

Comunicar erro
Casa e Roupa

ComentĂĄrios

Zion
Luxhoki