Camara pi 183

Professora é presa por injúria racial contra menina de 8 anos em escola

Mãe afirma em denúncia que mulher teria chamado criança de 'preta do cabelo de palha'. Educadora foi afastada do cargo pela Secretaria Municipal de Educação

Por RJNEWS em 08/06/2024 às 12:23:09
Caso aconteceu na Escola Municipal Estados Unidos, no Catumbi

Caso aconteceu na Escola Municipal Estados Unidos, no Catumbi

Uma professora da rede pública municipal foi presa por injúria racial, nesta sexta-feira (7), em escola no Catumbi, Região Central. A prisão foi feita por agentes do 4º BPM (São Cristóvão) que foram acionados após denúncia feita pela mãe de uma aluna, de 8 anos, na Escola Municipal Estados Unidos.

Segundo relato da parente, Cristiani Bispo teria chamado a menina de "preta do cabelo de palha". Essa não teria sido a primeira ofensa racista cometida por ela contra a criança. O caso causou comoção entre outros alunos e pais, que acompanharam a prisão da professora.

A escola municipal onde o caso aconteceu divide espaço com o Colégio Estadual Tomas Antônio Gonzaga.
Durante a abordagem, a mulher chegou a passar mal e precisou ser socorrida por militares do Corpo de Bombeiros e levada para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. O caso foi registrado na 19ª DP (Tijuca), onde a professora foi presa em flagrante por injúria racial.

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Educação informou que a professora foi afastada do cargo e responderá uma sindicância interna que irá apurar o caso. "Os alunos e seus responsáveis foram acolhidos e receberam apoio da equipe gestora da escola", diz comunicado da pasta.

Confira a nota na íntegra:
"A Secretaria Municipal de Educação afastou a professora de suas funções e instaurou uma sindicância para apurar o caso. Os alunos e seus responsáveis foram acolhidos e receberam apoio da equipe gestora da escola. A Secretaria reforça que qualquer forma de discriminação contra alunos é inadmissível, rigorosamente combatida e punida. A professora está sujeita a ser demitida do serviço público ao término da apuração. Desde 2021, a Secretaria foi uma das pioneiras no Brasil ao instituir a Gerência de Relações Étnico-Raciais (GERER), dedicada a implementar políticas e práticas educativas que combatam o racismo e valorizem a história e a cultura afro-brasileira e indígena, formando alunos e professores comprometidos com a igualdade racial".

Fonte: O Dia

Comunicar erro
Casa e Roupa

Comentários

Zion
Luxhoki