CONTEC

Dia de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes é discutido em live

Os consultores convidados refletiram sobre a violação dos direitos das Crianças e Adolescentes e propuseram a construção de mais ferramentas para que se possa combater o abuso sexual todos os dias, nas escolas, nas ruas e em toda a sociedade...

Por Lourdes Acosta em 19/05/2021 às 12:19:37

A live sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que antecedeu à estreia do Podcast "Caso a Caso", alcançou centenas de curtidas e muitos comentários durante sua transmissão, nesta terça-feira (18). Apresentada por Vivianni Acosta, publicitária e Consultora de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, a transmissão ao vivo pela internet, que ocupou uma página do Facebook, fez uma reflexão acerca do Dia 18 de maio e a luta empreendida contra a violação dos direitos das Crianças e Adolescentes.

Estiveram presentes nas discussões os Consultores de Direitos de Crianças e Adolescentes, Marcelo Nascimento e Lauro Trindade, de São Paulo; Maduca Lopes, de Minas Gerais e Andressa Cristina, ex-conselheira tutelar e fundadora do Centro Social "Juntos Somos Mais Fortes", em Carapebus. A publicitária abriu a live dizendo que não temos motivos para comemorar, mas, lamentar e lutar pelas nossas crianças e adolescentes. Ela leu um trecho de um livro que relata o sofrimento de uma menina, como forma de provocar o debate.

A professora e consultora em direitos humanos de crianças e adolescentes, Maduca Lopes, sugeriu que as políticas públicas executadas pelos governos incluíssem nas escolas a voz de quem conhece e protege os direitos infanto-juvenis, através de palestras dos defensores e consultores do assunto. "Como professora entendo que precisamos levar o esclarecimento para as salas de aula, a fim de alertar às possíveis vítimas, pois elas precisam entender o que é o abuso, entender aquilo que o pai ou o tio está fazendo é um abuso que a faz sofrer. Nossa voz precisa ecoar para que a sociedade saiba como agir, e a partir do momento que as escolas entrarem com tudo, as crianças entenderão o que é abuso sexual", ressaltou.

Na live de abertura, Marcelo Nascimento, que além de consultor é palestrante em direitos humanos de crianças e adolescentes, acentuou que a data é para relembrarmos a história de Aracely Sánchez, de oito anos de idade, assassinada (raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada) em 18 de maio de 1973, em Vitória, Espírito Santo.

- Como Vivianni disse, hoje não é dia de comemoração, esta data marca a luta que deve se dar nos 364 dias do ano, mais o 18 de maio. E esse 18 de maio, dentro de uma pandemia nos traz um grito de guerra que só venceremos unidos - família, estado e todo o sistema de garantias de direitos. Precisamos construir ferramentas para que se possa combater o abuso sexual todos os dias e termos capacidade para discutir o ciclo da política pública para a criança e o adolescente -, assegurou.

Marcelo conclamou a sociedade para não ser cúmplice de nenhum tipo de crime, acobertando ou se tornando omissa quando souber que uma criança está sendo vítima de um crime. "O abuso sexual é a ponta, porque há outras violações, como o trabalho infantil. No próximo dia 12 de junho é o dia mundial de combate ao trabalho infantil. Então, é preciso que os CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) e os CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) como unidades de políticas públicas promovam nessa data reflexões sobre o direito de todas as crianças à infância segura, à educação e à saúde, livres da exploração infantil e de outras violações".

Podcast "Caso a Caso" que traz informações importantíssimas sobre direitos, leis, atual situação frente a pandemia para toda a população e para a Rede de Proteção de crianças e adolescentes foi lançado. Os três primeiros episódios já podem ser acessados nas plataformas Spotify, Apple, Breaker, Podcasts, Castbox, Overcast, Pocket Cast, Rádio Public, Google Podcast e Yuotube. São eles: Pedofilia, Educação – desafios e Ansiedade e os gatilhos emocionais.

No Episódio sobre pedofilia, Dr. Casé Forte, promotor da infância e juventude de Minas Gerais, responde qual a diferença entre abusador e pedófilo e Você é capaz de identificar se seu filho e/ou filha está sendo abusado(a)? além de temas correlatos.

__________________________________________

Lourdes Acosta – Jornalista (editora/redatora/produtora)

DRT/MTE 911 MA. // Macaé 19/05/2021.

Casa e Roupa
Anuncie 3